POR Juliete Costa

A Polícia Civil de Ilha Solteira realizou na tarde da última terça-feira, 15, a reconstituição do crime que matou a estudante da UNESP, Mária Júlia Martins Quintino da Silva de apenas 17 anos. A jovem, levou cerca de 35 facadas do ex namorado, Jean Gomes de Menezes Santana.

De acordo com as informações apuradas pela reportagem, na ocasião a Guarda Municipal bloqueou o trânsito por volta das 14h nos acessos à viela de 400 do Passeio Batalha, local onde aconteceu o assassinato, no último dia 9 de abril.

O caso que repercutiu por toda região do noroeste paulista, está sendo investigado também pela Polícia Técnica que ouviu as versões das testemunhas, alguns colegas da faculdade da vítima, para poder reproduzir passo a passo tudo o que ocorreu naquele dia trágico.

Durante a reconstituição, as autoridades ouviram relatos de diversas pessoas e registraram cada detalhe. O autor do crime e a adolescente foram interpretados por civis que ali estavam e realizaram a cena desde a saída de Maria da república onde morava até a abordagem do acusado, as agressões e fuga.

Todo esse trabalho demorou cerca de três horas. Apesar da grande movimentação dos investigadores do caso, não houve tumulto de curiosos. Diante dos resultados, a delegada que investiga o homicídio, Carolina Tucunduva revelou que o inquérito será concluído ainda neste mês e em breve encaminhado juntamente com os laudos periciais à Promotoria, para que seja aberta uma denúncia contra o assassino por feminicídio.

Print Friendly, PDF & Email