sexta-feira , junho 22 2018
Página Inicial / Andradina / “Se alguém tentou fraudar a licitação, não fui eu”, diz Presidente da Câmara

“Se alguém tentou fraudar a licitação, não fui eu”, diz Presidente da Câmara

POR Daniel César

“Eu não sei o que aconteceu e não fui preso. Todos fomos convidados a prestar esclarecimentos na delegacia e eu fui sem sequer saber de que se tratava”, assim começaram as explicações do Presidente da Câmara Municipal de Andradina, Raimundo Justino (Patriotas) em depoimento a um Veículo de Comunicação regional sobre sua prisão em flagrante ocorrida na última semana.

Raimundo que se recusou a falar sobre o ocorrido, mesmo na sessão ordinária comandada por ele na última segunda, 05, quebrou o silêncio em uma entrevista que ele concedeu ao veículo de comunicação da cidade de Castilho, Paparazzi News. Ele falou por quase 20 minutos sempre negando as acusações.

Chamou a atenção o fato de que Raimundo Justino afirmou categoricamente que não foi preso, mas foi convidado a comparecer à delegacia para prestar esclarecimento. Ele explicou que todos os empresários presentes na licitação também foram convidados e que ninguém sabia o que estava acontecendo.

“Eu não tinha muito o que falar porque nem sabia o que estava acontecendo”, explicou ele. O vereador afirmou ainda que é sempre a favor da Justiça e que, se houve alguma irregularidade, é preciso se apurar. Justino lembrou que presta serviços de transporte escolar há muitos anos e que é uma pessoa idônea.

Porém, o vereador não explicou a razão de, no Boletim de Ocorrência que apura os fatos, seu nome constar como a pessoa que tentou subornar uma das empresárias durante a licitação. Num dos trechos do BO está explícito. “Todos os autuados direcionaram para a testemunha oferecendo vantagens indevido e confirmando que o licitante Raimundo iria pagar o valor oferecido”.

Raimundo também não falou sobre a fiança que ele pagou no valor de R$ 1 mil. O Portal Fatos Regionais falou com policiais e advogados que confirmaram que ninguém que é levado para depor em forma de esclarecimentos é obrigado a pagar fiança. “Fiança é para quem foi preso”, explicou um advogado.

O Caso

Raimundo Justino e outros empresários foram presos na última semana acusados de tentar fraudar uma licitação na Prefeitura de São Joaquim da Barra.

De acordo com uma empresária que participava da licitação, o vereador de Andradina e outros empresários ofereceram dinheiro para ela abandonar a concorrência e deixar para eles. Indignada, a mulher chamou a polícia.

Após prestar depoimentos, Raimundo Justino teve de pagar R$ 1 mil de fiança para ser libertado, mesmo assim, foi indiciado e vai responder por fraude de licitação.

 

Print Friendly, PDF & Email

Veja também

Justiça não autoriza que Gilson jogue lixo em aterro sanitário

POR Juliete Costa Uma liminar da Justiça proibiu nesta semana que o município de Murutinga …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

No Banner to display

Clique e confira