terça-feira , Abril 24 2018
Página Inicial / Blogs / Crônica de um (ex) Depressivo: Um gênio muito feio

Crônica de um (ex) Depressivo: Um gênio muito feio

POR Wert Plert*

Eu sou um gênio. Grande merda. Gênios não se olham no espelho. Edgar Allan Poe. Van Gogh. Álvares de Azevedo. Todos gênios. E adiantou de que?

Outro dia consegui falar com uma galera legal numa Rede Social. Todo mundo me elogiou, disse que eu era bom de papo e bonito. Bonito. É assim que consigo fazer amizades, ou mesmo, como dizem os meninos de agora, ter “crush”. Pelas Redes Sociais.

“Mostra mais uma foto”, recebi de legenda numa linda imagem. E que imagem! Se é que vocês me entendem. Eu gosto de ser provocado assim. Quem não gosta? E tenho certeza que cada foto que eu mandava era muito bem vista também.

Passamos uns 40 minutos trocando fotos e palavras nada republicanas. Me senti revigorado antes de dormir. Faço isso pelo menos cinco vezes por semana. Graças a Deus que sou um gênio. Se não fosse, não ia conseguir. Sabe por quê? Porque sou feio como o diabo.

Me olho no espelho e vejo as piores combinações possíveis para um atributo físico. Às vezes tenho a sensação que meus pais foram a uma espécie de feira pra montar seu filho e saíram pegando restos pra me montar. Ah, sobrou essa boca, vamos levar. Olha que lindo esse olho, eu quero. E esse outro olho, combina comigo. E assim eu surgi no mundo. Mas com um cérebro privilegiado.

E se sou feio, como posso fazer sucesso nas tais Redes Sociais? Porque lá, eu sou quem eu quero. Eu posso ser um artista de TV. Posso ser um jogador de futebol. Posso até ser uma celebridade internacional. Eu decido quem eu sou e ninguém contesta porque gênios são incontestáveis.

Adoro criar histórias. Minha mente sempre criava histórias desde criança. Se sou feio pra cacete, qual a melhor forma de fazer sucesso? Criando histórias. E eu crio histórias sólidas, bem planejadas e sem furos. Sou invencível nisso.

Aí me falaram que isso não é o mundo real. Disseram que fazer isso era muito feio “Você precisa ser você mesmo. Gostar de você”. Eu não gosto de mim. Por que alguém gostaria de mim? Nem o espelho gosta de mim. “Use sua capacidade pra criar histórias que ajudem os outros”, me falaram. Por isso estou aqui. “Você é um gênio”. Um gênio muito feio.

* Wert Plert é um nome fictício. A crônica real trata da história de um jovem que luta contra a depressão. A sua identidade será preservada. A coluna vai ao ar três vezes por semana, sempre às 21 horas: domingos, quartas e sextas.

Print Friendly, PDF & Email

Veja também

Em tempos de crise ainda existem pessoas imbuídas de boa vontade

POR Orador da Paz (Francis de Mello) Este trabalho de solidariedade é um ato de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

No Banner to display

Clique e confira