A Prefeitura Municipal da Estância Turística de Pereira Barreto arrecadou entre os meses de Janeiro e Setembro o equivalente a 65% do que consta previsto para todo o ano de 2018 no Orçamento Municipal que foi aprovado no início do ano pela Câmara Municipal.

De acordo com a apuração realizada pela reportagem do Fatos Regionais, até o dia 30 de setembro, haviam entrado nos cofres públicos os valores de R$ 68,86 MI para a Administração Pública Municipal, entre impostos e repasses dos entes da federação.

A expectativa de arrecadação para o ano, segundo consta no Portal da Transparência da Prefeitura Municipal é de pouco mais de R$ 104 MI, ou seja, muito acima do que se arrecadou até o momento. Dificilmente nos últimos três meses haverá entrada suficiente para atingir os valores esperados pela equipe de governo de João de Altayr Domingues, o popular Joãozinho.

Há de se pensar que a Arrecadação da cidade vem caindo, mas não se trata disso. O que ocorre, como já denunciou o Fatos Regionais em outras reportagens, é que, ao montar a peça Orçamentária, a Prefeitura costuma inflar os números de Arrecadação para, no ano seguinte, justificar o corte de investimento afirmando que não houve a Arrecadação esperada.

Entre janeiro e setembro de 2017, ou seja, o mesmo período de tempo pesquisado em 2018, os valores arrecadados pela Prefeitura eram de R$ 66 MI, ou seja, 2 milhões abaixo do que consta em 2018. Ao se calcular a inflação dos últimos doze meses, percebe que não houve aumento de arrecadação, mas apenas a perda inflacional.

A estratégia de inflar os números no Orçamento para depois justificar possíveis quedas de Arrecadação é prática comum em quase todas as prefeituras do Brasil e não exclusivamente em Pereira Barreto.

Print Friendly, PDF & Email